VIII - LISBOA NOVAMENTE: À PROCURA DE FERNANDO PESSOA.
Publicada em 06/09/2016 às 06:28
Cheguei de novo em Lisboa no dia primeiro de março e como sempre Jan estava me esperando no aeroporto. Nosso projeto totalmente realizado era lá passar alguns dias, no Baixa-Chiado, próximo de muitos dos encantos dessa cidade querida. O principal objetivo era o de seguir os caminhos de Fernando Pessoa conhecendo sua casa, a Tabacaria famosa, os bares mais frequentados. Alguns turísticos, outros meio desconhecidos. Afinal para viajar basta existir (Fernando Pessoa, no Livro do Desassossego). E para amar Lisboa, com suas casas de várias cores e seus telhados fundamentais na paisagem, deve-se também amar esse poeta maior, solitário, imaginativo, genial, comum nos seus gostos e vestimentas, comum no seu trabalho de tradutor, único nos pensamentos e sentimentos do mundo. Nessa primeira tarde decidimos procurar seu café predileto na Praça do Comércio, o Café Restaurante Martinho da Arcada, que não fica circundando a praça, mas a seu lado. O Martinho da Arcada foi quase uma segunda casa para Fernando Pessoa nos seus últimos dez anos de vida. Era seu escritório. Nessa mesa sempre reservada e nunca ocupada por turistas a não ser pelo breve instante de uma foto ele escreveu muitos dos belos poemas de "Mensagem" e muitas páginas do "Livro do Desassossego". Do livro que é também dos nossos desassossegos e questionamentos da natureza da vida, do sentido do viver, do sonhar e do morrer. E de novo lembrando Fernando Pessoa, guia de nossos passos lisboetas "a vida é o que fazemos dela. As viagens são os viajantes. O que vemos, não é o que vemos, senão o que somos." Podem ler e reler esse conceito de sossego no contínuo desassossego de Pessoa que fez dele um viajante exímio dos caminhos da vida interior.

VII - O OCEANÁRIO DE LISBOA
Publicada em 20/08/2016 às 18:06
E porque era sábado resolvemos ir ao Oceanário de Lisboa, no Parque das Nações, dito o melhor Oceanário do mundo. O Parque das Nações é um bairro surgido no local onde foi realizada a Exposição Mundial de 1998 e que abriga várias instituições culturais e desportivas, inclusive uma marina. A arquitetura contemporânea, os espaços de convivência, todo o projeto de requalificação urbana dessa área, que era originalmente uma zona industrial até os anos 90, assombra o visitante pela grandiosidade e pela beleza de todo esse complexo. Encontramos construções modernas e lindas que mostram a cultura pela beleza e estética dos portugueses com obras magistrais de alguns de seus mais famosos arquitetos. O próprio Oceanário vale a visita e surge rodeado de águas como um porta-aviões ligado ao parque por uma passarela. A visita estimula nosso lado lúdico e estético e vale a pena demais.

VI- A PRAÇA DO COMÉRCIO
Publicada em 20/08/2016 às 05:59
Como sempre fazemos ao chegar em Lisboa, numa sexta-feira, saímos para uma caminhada pelas ruas próximas ao hotel, subindo e subindo ladeiras. Descobrir a cidade tem seus encantos, porque em todos as esquinas Lisboa nos surpreende com sua beleza e seus magníficos monumentos. Quando avistamos o Tejo distante decidimos então caminhar na sua direção. Fomos então para as margens do Tejo e o que vemos? Uma enorme e majestosa praça cheia de restaurantes e monumentos, com milhares de turistas bebendo sangria ou cerveja nos terraços ou tirando fotos e selfies. Amo essa invasão bárbara no verão lusitano. A Praça do Comércio pode ser descrita com uma simples palavra: WOW! Traduzindo a beleza, a majestade e sua surpreendente dimensão. Uma das maiores da Europa.

V - DE NOVO EM LISBOA
Publicada em 19/08/2016 às 02:36
Decidimos de repente no meio da semana passada ir para Lisboa para ver gente, ouvir barulho, cheirar um ar mais poluído. Afinal tanta pureza, tanta natureza cansa a nós que somos essencialmente urbanos. No século XIX Portugal era conhecido como o país dos aquedutos. Para mim Portugal é o país dos castelos. Portugal, o outrora "Reino Lusitano, onde a terra se acaba e o mar começa", também nos versos de Camões. Saímos de Évora pelo antigo aqueduto com seus arcos de pedra e entramos em Lisboa também por seus aquedutos. Na realidade aqueductos em português local.

IV - UM DIA EM SINTRA SAINDO DE LISBOA
Publicada em 15/08/2016 às 10:39
Sintra é uma referência quase lendária e obrigatória numa visita a Portugal. Conhecida como Suntria na mais antiga forma medieval, designada como Monte Sagrado, registrada por Ptolomeu como Serra da Lua e caracterizada como a cidade permanentemene mergulhada numa bruma que nunca se dissipa. A paixão de Lord Byron por Sintra também estimulava nossa curiosidade e nossa visita. "A vila de Sintra na Estremadura é, talvez, a mais bela do mundo", segundo esse romântico poeta inglês que a chamou também de "Glorious Eden".

BLOGUEIRA

CRISTIANA ALTINO DE ALMEIDA

Médica especializada em Medicina Nuclear e Endocrinologia. Uma habitante a mais de Evoramonte onde vivo com Jan Kremer, jornalista e escritor holandês. Escolhemos Portugal para viver parte do ano. Outra parte pretendemos passar no Brasil, na Holanda e viajando. Queremos aproveitar nosso tempo priorizando qualidade de vida.

DICAS
VAMOS EXPERIMENTAR AS DELÍCIAS DA GADANHA MERCEARIA?
GADANHA MERCEARIA E RESTAURANTE, ESTREMOZ.
QUE TAL LER "FERNANDO PESSOA - UMA QUASE AUTOBIOGRAFIA"?
O livro me encantou tanto, porque Fernando Pessoa é uma paixão comum entre eu e Jan Kremer, que em 2015 passamos cinco dias em Lsboa seguindo os passos desse poeta múltiplo. Conhecendo os lugares que frequentava, a casa em que morou e morreu, os bares e restaurantes. Fomos atrás da Tabacaria, segundo Zé Paulo. Confesso que uma frustração pelo abandono do lugar mas não perdi a confiança de que nosso escritor pernabucano acertou o local verdadeiro, seguindo minunciosamente a descrição da Tabacaria, a vista da janela do local onde trabalhava, os donos na época. Um dia, acredito, os portugueses vão reconhecer que ele tem razão.
A LOJA DO GATO PRETO
Casas livres, donos felizes, esse é o lema da Loja do Gato Preto. A inspiração do nome surgiu quando a gata da casa “deu à luz” uma ninhada onde havia apenas um gato todo preto. O gato preto tornou-se um sinal de sorte e o símbolo da relação da empresa com o artesanato e com a cultura proverbial portuguesa. A Loja do Gato Preto tem uma afetividade especial por gatos e pelos seus comportamentos e, por isso, as lojas comercializam várias coleções com inspiração nestes animais, destacando-se especialmente as canecas, os serviços e os têxteis.
UM FANTÁSTICO MUSEU NA HOLANDA: O MUSEU KRÖLLER-MÜLLER.
O Museu Kröller-Müller é um museu de arte que inclui um jardim de esculturas, localizado no parque Nacional de Otterlo na Holanda (Hoge Veluwe National Park), província de Gelderland. Falo desse belo museu como digno de um dia inteiro a ele dedicado nos passeios na Holanda. Primeiro porque é o segundo museu com mais pinturas de Vincent van Gogh na Holanda e no mundo, só perdendo para o Museu van Gogh, em Amsterdam. Segundo porque o Jardim das Esculturas (Beeldentuin) é um divino passeio ao ar livre entre obras de arte modernas e bem distribuídas. O museu tem também obras de arte surpreendentes de artistas modernos e contemporâneos, representando diversos movimentos artísticos como o impressionismo, o cubismo e o simbolismo. A coleção de esculturas inclui uma de Auguste Rodin (como amo o Museu Rodin em Paris) e mais Henry Moore, Jean Fabre, Jean Dubuffet e muitos outros artistas. Mostra a arte dos anos sessenta, a arte dita avant-garde e a arte contemporânea de várias nacionalidades.Uma perfeita simbiose entre arte, arquitetura e natureza. Escrevendo agora sobre esse museu, e não esqueçam de prestar atenção ao pavilhão Rietveld, senti uma vontade enorme de lá voltar prestando muito mais atenção a cada obra. Tenho certeza que todos que forem vão amr o passeio, a cerca de duas horas de Amsterdam, por trem ou por ônibus.